Conheça o Conceito Definitivo Sobre Investir na Prática

Nov 14 / EQUIPE MONWAY

TEMPO DE LEITURA: 8 MINUTOS

O Brasil ultrapassou a marca de 3,8 milhões de contas cadastradas na B3 (Bolsa de Valores) em junho de 2021, um aumento de 43% em relação aos 2,2 milhões em 2019. Ainda assim, sete em cada dez brasileiros não têm o costume de investir, conforme pesquisa do Reclame Aqui.

Então a gente combina agora que o assunto é mega importante e que você não pode ficar pra trás no que se diz respeito à Educação Financeira, mais especificamente à Investimentos?!

O que é Investir?

Investir é, praticamente, fazer o dinheiro trabalhar pra você e parar de trabalhar pra ele. A gente tem uma matéria bem legal que se chama Conheça As Duas Formas de Lidar Com o Dinheiro que fala sobre isso.

Então, pensando de um jeito simples e objetivo, investir é colocar o seu dinheiro em algum lugar e depois tirar com algum “lucro” e isso é tentador. Mas o que pouca gente debate é sobre o risco de se investir. Ninguém quer tirar o seu rico dinheirinho investido com algum “prejuízo”, né?

Não se preocupe com isso agora!

A gente fala muito sobre RISCOS e ao longo da sua jornada aqui com a Monway a ideia é compartilhar contigo bastante conhecimento que vai te conscientizar de todas as suas escolhas, assim tornar a sua tomada de decisão muito mais sólida e assim, de forma natural, você mesmo vai diminuir os seus riscos ao máximo.

O que queremos passar aqui

Queremos transmitir o que é investir na prática, ou seja, quando você aplica o dinheiro em algum lugar, o que esse tal lugar faz com seu dinheiro para poder te pagar esse tal de juros?

Quando entendemos esse conceito, a gente passa a ter uma ideia muito melhor de todos os investimentos espalhados pelo mundo.

Ao investir de verdade, no dia a dia, você passa a ter a sensação sobre risco, sobre prazo, e consegue até evitar de cair em golpes financeiros que estão a nos orbitar no cotidiano.

Então se liga aqui que vou te mostrar como tudo funciona!

Quando você investe dinheiro, você basicamente tem duas escolhas:
  1. ou você empresta dinheiro para alguém;
  2. ou então você se torna sócia(o) (dona(o)/acionista) de alguma empresa;


São basicamente essas
duas possibilidades!

Dá uma olhada nesse exemplo prático:

Quando você aplica seu dinheiro no banco, em algo tipo CDB (renda fixa), o que você tá fazendo, na real, é ser um credor do banco. Ou seja, você está emprestando dinheiro para o banco e em troca disso o banco vai te pagar juros!

Mas o banco já não tá cheio da grana? Porque ele vai aceitar pegar dinheiro emprestado de um reles mortal como eu?

Claro que o banco tem muito dinheiro, mas se ele puder contar com o seu, ele passa a ter muito mais. E para o banco esse movimento é muito lucrativo!

Entenda um pouco de Spread Bancário:  

Quando o banco pega dinheiro emprestado com você, o que ele faz com esse dinheiro é emprestar para outras pessoas.

Se você for comparar os juros que ele recebe quando ele empresta e os juros que ele te paga em qualquer tipo de aplicação, a diferença é muito grande!

Na verdade, o Brasil é o segundo país que tem o maior spread bancário do mundo, só perdendo para Madagascar! O Spread é justamente essa diferença de quanto o banco cobra juros quanto ele paga.

Voltando aos investimentos...

Você pode também emprestar dinheiro para outro tipo de instituição que não seja um banco. Se você emprestar dinheiro, por exemplo, para uma empresa, o que vai mudar é o nome da aplicação, que no caso poderá ser uma debênture ou uma CCB.

Você pode até emprestar dinheiro para o governo! O governo pega dinheiro emprestado vendendo títulos do Tesouro Nacional, através da conhecida plataforma Tesouro Direto. Então, ao emprestar dinheiro para o governo, você estará investindo no tesouro!

Você já pensou ser um acionista?

A outra forma que você tem de investir é se tornando sócia(o) de alguma empresa, e é isso que acontece quando você compra ações de uma empresa na bolsa de valores.

Uma ação de uma empresa na bolsa, nada mais é do que um pedacinho da empresa e por conta de você comprar essa pequena parte e se tornar sócia(o), você acaba tendo direito aos dividendos (lucros) que a empresa paga aos seus acionistas.

E se você investir em boas empresas, as ações dessas empresas cada vez mais serão desejadas, e o valor delas aumentará no mercado. Logo você também pode ganhar dinheiro vendendo essas ações a alguém por um preço maior do que o preço que você comprou.

Fundo de Investimentos e Acionistas: Qual a relação?

Os fundos de investimento nada mais são do que um conjunto de pessoas que se unem pra investir em mais de um tipo de ativo. Então vamos pensar juntos:

  • Se você investe em fundo de renda fixa, pode constar em sua carteira CDB’s de vários bancos. Nesse caso, é como se esse grupo de pessoas, que agora você faz parte, chamado de cotistas, estivesse emprestando dinheiro para os bancos cujos CDB’s fazem parte do fundo.


  • O mesmo acontece com um fundo de ações, que vai conter em sua carteira várias ações, ou seja, quem investe nele vai fazer parte de um grupo de cotistas que está comprando fatias dessas empresas, o que significa que você se tornará sócia(o) delas através do fundo.

O conceito principal
não muda!

É claro que existem instrumentos de investimento mais complexos, mas basicamente, todos esses instrumentos estão ligados a esses dois tipos de relacionamentos do investidor com as instituições: Ou somos credores ou somos sócios/acionistas.

Só mais um exercícinho prático pra você começar a arrasar nos Investimentos

Ao emprestar dinheiro pra alguém, qual é a primeira coisa que vem na tua cabeça? Você se pergunta se ela tem capacidade de te pagar, certo?

O mesmo vai acontecer se você investir em títulos de renda fixa, nos quais você terá uma posição de credor. A sua preocupação tem que ser na capacidade da instituição que você está investindo de te pagar, ou seja, dela não te dar um calote!

E se você for convidado amanhã para ser sócia(o) da empresa do seu cunhado, qual é a primeira coisa que você vai querer saber antes de entrar nessa? - Você vai querer saber:
  • qual o mercado de atuação;
  • Se ela dá lucro ou prejuízo;
  • Se é uma empresa que obedece às leis;
  • Se é uma empresa que está com possibilidade de crescer nos próximos anos;
  • E por aí vai, não é?

É exatamente isso que você tem que pensar quando você investe em uma ação da bolsa, por exemplo.

Viu só como é simples?

Viu como a gente consegue trazer para o nosso dia a dia uma questão que é tão complexa como os investimentos?
Passe a pensar dessa maneira e temos a convicção que você vai passar a tomar melhores decisões quando o assunto for investir!

Pra mais dicas e conteúdo rico gratuito em Educação Financeira, siga o Gui Vendramini no Instagram e se cadastre aqui com a gente e seja uma das primeiras pessoas a receberem as novidades da Monway.
Created with