DANE-SE SEU NOME: 3 Passos Pra Você Não Perder Um Minuto de Sono

Nov 29 / EQUIPE MONWAY

TEMPO DE LEITURA: 10 MINUTOS

Muita gente se desespera por estar com o nome sujo no SPC ou SERASA que acaba aceitando qualquer acordo para quitar suas dívidas.

Se isso acontecer com você, tenha CALMA! Queremos que você encare o nome sujo como uma oportunidade para se reeducar financeiramente.

Vamos mostrar como pagar suas dívidas quando estiver realmente pronta(o) pra isso, de preferência, negociando.

SE NÃO TIVER AÇÃO JUDICIAL E PERDA DE BENS EM JOGO, DANE-SE!

Vem com a gente até o fim.

Três a cada quatro brasileiros e brasileiras estão endividados

O total de brasileiros endividados chegou a 74% da população em setembro, 1,1 ponto percentual (p.p.) acima do verificado em agosto, conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

As obrigações das famílias, levantadas pela pesquisa, incluem cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal, prestações de carro e de casa própria.

Então se você está nesse bolo ou conhece alguém vivendo situações similares, continue lendo esta matéria.

A gente te entende…

Com a recém alta dos juros, inflação batendo recorde atrás de recorde e a constante alta do dólar, tudo está subindo de preço. O indicador mais preocupante é a cesta básica que chegou a 38,56% de aumento em Brasília. Se os alimentos estão absurdamente caros, todos os outros produtos e serviços acabam aumentando também.

Então, a gente entende se você se enrolou no meio de tantos indicadores ruins em nosso Brasil e viemos aqui pra te dar uma força se no meio do caminho você ou sua família contraíram alguma dívida.

Não se desespere, você não tá sozinha(o) nessa. A gente tá aqui pra te dar a mão até mesmo porque, quem nunca deveu que atire a primeira pedra.

PASSO 1 - Como saber se sujaram seu nome

O processo até chegar à inadimplência envolve quatro etapas. Primeiro: o atraso de contas. Depois, a cobrança do débito pelo credor. Na sequência, o prazo e o informe da negativação e, enfim, o nome negativado.
Muita gente acaba com nome e CPF negativados e nem sabe. Embora as empresas sejam obrigadas a notificar o consumidor, nem sempre isso é possível, seja por mudança de telefone, endereço ou quaisquer alterações de cadastro. Para quem quer entender como saber se está com nome sujo, segue um passo a passo.
No site do Serasa, a consulta de CPF é feita de forma gratuita – muito prática e simples. Veja!

  1. Acesse o site da Serasa (www.serasa.com.br) ou baixe o App pra Android (Serasa: Consulta CPF e Score – Apps no Google Play) App pra iOS (Serasa: Consulta CPF e Score na App Store)
  2. Clique em “Consultar CPF grátis”;
  3. Cadastre-se, caso ainda não tenha o registro;
  4. Se teve que se cadastrar, confirme seu e-mail;
  5. Entre com seu login e senha;
  6. Clique em “Meu CPF” e confira se há pendências.

E se não tiver nenhuma pendência?

PASSO 2 - Ação Judicial e Perda de Bens Envolvidos?

Nesse caso você nem precisa ir atrás de como saber se a sua dívida é judicial. Neste caso, a dívida judicial vem atrás de você. Você receberá uma intimação judicial e daí pra frente saberá o tamanho do problema.

O que acontece se eu não pagar uma dívida judicial? Se o você não pagar, o credor pode requerer:
Bloqueio de contas bancárias no seu nome;
Busca e apreensão de veículos para saldar a dívida;
Penhora de bens de valor;

A Penhora de Dinheiro é a primeira solicitada por um credor. Através de uma pesquisa feita pelo juiz, o dinheiro localizado na conta bancária do devedor será bloqueado.

A Penhora de Bens é a mais comum, sendo de veículos, imóveis ou outro bem de valor.
Outra forma de prejudicar o devedor é a Negativação do Nome que acarretará na dificuldade de conseguir crédito e empréstimos nos próximos 5 anos.

Protesto em Cartório também é bastante usado e se assemelha muito a negativação do nome, entretanto ele é mais complicado, visto que muitas vezes o nome da pessoa vai continuar lá, enquanto a dívida não for paga.

Dependendo do seu regime de casamento, a Penhora de Bens em Nome da Esposa ou do Marido é super possível de acontecer. Grande parte dos casais no Brasil é casada no regime de comunhão parcial de bens, ou seja, todos estão sujeitos a esse procedimento. Por isso, metade do patrimônio da sua esposa ou do seu marido, pode ser objeto de penhora.

Se você é sócio de uma empresa ou faz parte de uma empresa que está sendo cobrada na justiça, pode rolar a Penhora das Cotas Sociais ou do Faturamento da Empresa. E isso é muito grave para uma empresa, talvez não exista perda maior para um empresário do que essas duas medidas que o credor pode requerer.

Lembre-se que o assunto pode ficar bem sério. Quando uma pessoa recebe uma intimação judicial, ela tem algumas opções a seguir e todas envolvem cuidar do problema da forma correta, deixar de lado pode ser muito prejudicial.

PASSO 3 - Como negociar minhas dividas?

Recapitulando: Você já viu lá no Serasa se seu nome tá sujo e que não há ação judicial e nem perda de bens envolvidos? Então é chegada a hora de respirar fundo e encarar com coragem esse verdadeiro bicho papão (#sqn) que é a negociação de dívidas.

Para começar, a melhor ideia é fazer listas. Elas são fundamentais para você organizar o seu orçamento. Use e abuse delas e pode ter certeza, tudo vai ficar mais fácil! Veja abaixo algumas listas que você pode fazer para começar a negociar dívidas e a se reequilibrar financeiramente:

  • Liste tudo o que você deve em cartões de crédito, empréstimo, financiamento, cheque especial, carnês e boletos.
  • Faça uma tabela com o seu orçamento mensal. Ou seja, tudo o que entra e sai da sua conta bancária todo mês. Se precisar, use a nossa tabela financeira. Ela ajuda a manter um orçamento familiar prático e fácil.
  • Elabore uma lista de cortes que podem ser feitos no seu orçamento com a ajuda da família toda.
  • Liste ideias para gerar renda extra. O que pode ser feito para complementar o seu orçamento? Vale tudo: fazer doces e comidas para vender, dar aulas particulares, revender um produto.
  • Liste tudo o que pode ser vendido, como itens que não são tão utilizados. Alguns exemplos são aquela bicicleta encostada no quintal ou o violão que não é tocado há um bom tempo.


ESTABELEÇA UM LIMITE DE QUANTO VOCÊ PODE PAGAR

O objetivo é sair das dívidas, certo? Então, é preciso saber o quanto poderá pagar. Defina um valor limite para negociar e não assuma um compromisso com o qual não possa arcar.

Vamos pegar um exemplo: uma família tem uma dívida de R$ 5.000,00 e só consegue pagar R$ 110,00 por mês. Imagine que ela conseguiu um empréstimo com CET (Custo Efetivo Total) de 1,33% ao mês. Nesse cenário, vai demorar quase 6 anos para quitar a dívida.


CONSIDERE OS IMPREVISTOS

Todos nós costumamos acreditar no melhor cenário e, por isso, raramente prevemos um “plano B” para cobrir os eventuais imprevistos. Gastos com reforma, perda do emprego, consertos no carro e doenças na família costumam afetar o pagamento das contas.

Quando planejar o pagamento de dívidas, reserve um valor mensal para cobrir novos imprevistos que poderão surgir. Seja cauteloso e previna-se de novas dívidas desnecessárias.
Com este mega plano todo rabiscado, se prepare para negociar.


DEFINA SUA ESTRATÉGIA DE NEGOCIAÇÃO

Antes de fazer a negociação com o credor, pense nos argumentos que irá apresentar. E leve todos os documentos que vão comprovar sua capacidade de pagamento. Faça uma lista de perguntas que você poderá fazer antes de assinar a negociação. Por exemplo:
  • Qual será o desconto, em percentual, sobre a dívida total?
  • Se pagar à vista, posso ter um desconto maior?
  • Se parcelar, quais serão os juros?
  • Depois de pagar, em quanto tempo terei minha situação regularizada na Serasa?
  • Quando pagar, vou receber uma carta de quitação?

Se restar alguma dúvida, não decida por impulso. Peça para que a proposta de negociação seja feita por escrito. Leve para casa, discuta com a família e volte depois com uma contraproposta. Ou, se houver concordância, volte para assinar o contrato de negociação.

E pra concluir…

Preocupe-se em se organizar!
Às vezes precisamos de um choque de realidade para voltarmos pro eixo. E quando isso acontece, olhar tudo pelo lado bom é fundamental.
Muita gente faz dessa situação (ficar com o nome sujo), um tremendo pesadelo, como se a vida fosse parar e nos arriscamos em dizer que é cultural do brasileiro e da brasileira ter esse pensamento.

Nada disso!
É claro que a limitação do crédito pode atrapalhar a vida. Mas por outro lado, será uma bela oportunidade para se organizar e se controlar de uma vez por todas.
Os órgãos são de proteção ao crédito, mas também protegem você de aumentar ainda mais a bola de neve de dívidas!

Você já teve o nome sujo?
Então conta pra gente em atendimento@monway.com.br que a gente vai adorar trocar experiências com você.

Created with