Top 4 Tendências de Como Investir em 2022

Jan 5 / EQUIPE MONWAY

TEMPO DE LEITURA: 06 MINUTOS

Nesse mundo louco, onde todas as previsões foram pro saco em 2021, essa é uma pergunta armadilha pra quem se arrisca em responder com propriedade.

Pensa um ano atrás. Geral estava pronto pra uma recuperação econômica em expansão e um verão de muito amô em 2021, tudo isso possibilitado pelas vacinas da Covid-19. Alguns chegaram a dizer que o fim da pandemia estava logo ali.

Então chegaram as variantes Delta, Ômicron e agora a IHU. À medida que 2022 começa, a pandemia continua inabalável, gerando sinais de persistência e complicando muito a recuperação econômica global.

Porém, com uma análise do que vem pela frente, seja na política, seja nas previsões econômicas para esse ano, é sim possível fazer boas escolhas nos investimentos em 2022.

Pra começar, vamos queimar alguns neurônios juntos

2022 é ano de eleição. E vamos combinar que não é qualquer eleiçãozinha. Pode ser a maior eleição de todos os tempos se levarmos em conta toda a polarização que foi criada nos últimos anos.

Apesar do gradativo aumento dos índices de vacinação e consequente diminuição de mortes, novas variantes ainda assombram muitos países e economias por aí como já falado anteriormente.

As projeções para inflação são de 5% a 6%. E o Copom prevê uma Selic de dois dígitos, com estimativa para algo em torno de 11,50%.

Pensando tudo isso, entendemos 2022 como um ano de volatilidade.

Volatilidade de câmbio, onde o valor do Real só Deus sabe pra onde vai.

Volatilidade de mercado, pois só a Vidente Baba Vanga sabe como o mercado vai receber uma reeleição de Bolsonaro ou de Lula.

Volatilidade da inflação e da Selic, por toda essa conjuntura política, social e econômica, e muito mais.

Esse ano de 2022 é como se todos nós estivéssemos numa grande montanha russa na velocidade 5.

Sendo assim, em 2022 você deve pensar em proteger seu capital

1. Não dá pra ficar no feijão com arroz da Renda Fixa

Na renda fixa, não fique tentado a ativos atrelados apenas ao CDI. Por mais que as projeções sejam de alta na Selic, os caras sempre erram (em quase 100% das vezes erram, na verdade).

Então, dê preferência para ativos com rentabilidade atrelados a inflação de tal forma que você consiga uma valorização real. Independente do movimento da taxa.

Ah! E esteja com sua reserva de emergência em dia.

2. Renda Variável: Confie no Seu Perfil de Investidor

Na renda variável, a bolsa de valores sempre deve estar no radar. Pois um mercado volátil, é um mercado também de oportunidades.

Mantenha a estratégia baseada no seu perfil de investidor, com o seu percentual destinado à renda variável em dia e com aportes constantes.

Você fará preço na compra das ações. Então subindo ou caindo, se pensar em longo prazo não tem muito erro.

3. FII’s pra driblar a alta da Selic

Para fundos imobiliários, com a alta da Selic, é possível vermos uma desvalorização das cotas. Mas FII’s (Fundos de Investimento Imobiliários) é imóvel, amigas e amigos.

É, de alguma forma, segurança. Fundos com boa relação de dividend yeld* sempre são opções para uma renda passiva de qualidade. Se eu fosse você, não deixaria de fora da carteira, mas também não escolheria qualquer um.

*Dividend Yield, abreviadamente DY, é uma expressão inglesa que traduzida literalmente significa rendimento do dividendo. É um índice criado para medir a rentabilidade dos dividendos de uma empresa em relação ao preço de suas ações.

4. Os Criptoativos Vieram Pra Ficar e Converta Seus Investimentos em Moedas Mais Fortes

Por fim, pra investidores com um pouco mais de experiência, está cada vez mais claro a necessidade de diversificar a carteira com Criptoativos e também ativos do exterior com base em dólar.

O primeiro motivo é simples: o futuro está aí e os Criptoativos vieram pra ficar.

O segundo é pelo fato do nosso Real estar muito instável e desvalorizando.

Então, pousar seus investimentos em solo precificado em dólar, por exemplo, é menos frio na sua barriga.

Como fazer isso? O jeito mais fácil é através de Etf’s* na própria B3. Existem Etf’s de criptomoedas, dólar, ações estrangeiras e tudo que você pode imaginar para realizar essa diversificação.
*Um Exchange-Traded Fund (ETF), ou fundo de índice, é um fundo de investimento negociado na Bolsa de Valores como se fosse uma ação. Um ETF também pode ser chamado de fundo de índice. A maioria dos ETFs acompanham um índice, como um índice de ações ou índice de títulos.
Created with